Programação

Abordagens Computacionais para Análise de Comportamento e Conteúdo Gerado Por Humanos

Flavio Vinicius Diniz de Figueiredo
Em uma sociedade amplamente conectada como a nossa, é possível modelar e prever as interações de usuários online? Quais os impactos das novas formas de criação de conteúdo e colaboração online em sistemas computacionais na sociedade? É possível sumarizar de forma entendível as grandes massas de dados criados por usuários? Perguntas como as expostas acima vem cada vez mais atraindo atenção tanto de pesquisadores como da indústria. Tais perguntas são uma consequência direta da iteração entre humanos e sistemas computacionais. Em particular, a enorme popularidade da redes sociais, mídia sociais e criação de conteúdo colaborativo na Internet trouxe um novo interesse no entendimento do comportamento de humanos online. Nesta palestra vou abordar algumas das perguntas acima sumarizando pesquisas recentes que visam analisar e entender o comportamento humano online e as grandes massas de conteúdo gerado de forma colaborativa.

Análise de Programas usando LLVM

Fernando Magno Quintão Pereira
A sociedade massivamente conectada demanda ferramentas cada vez mais precisas para analisar e melhorar os programas que executam sobre uma gama vasta de aparelhos heterogêneos. Nesse sentido, o compilador aparece como uma tecnologia criadora, que suporta a concepção, implementação e análise de tais ferramentas. Dentre os compiladores hoje em uso, destaca-se o sistema LLVM. LLVM é um dos principais compiladores usados na indústria e na academia. Sendo mantido pela Apple, LLVM é usado para compilar Swift, C, C++, Rust, Julia e várias outras linguagens. Além disso, LLVM possui um conjunto muito expressivo de análises e otimizações de código, já tendo sido empregado na criação de ferramentas que encontram falhas de segurança e de desempenho em programas. Nesta palestra veremos como utilizar esse compilador, e como escrever análises e otimizações de código para melhorar programas C e C++. Serão vistos alguns dos principais componentes do compilador, e serão discutidas as possibilidades de pesquisa que a existência dessa infra-estrutura abre, tanto na indústria, quanto na academia. Em particular, serão apresentados projetos entre a universidade e a indústria mineira que usam LLVM como a infra-estrutura básica de produção.

Conectando a Computação ao Nanomundo

Omar Paranaiba Vilela Neto
O que queremos nos computadores dos futuros? Algumas das respostas são fáceis: queremos mais desempenho, menos consumos energético, menos dissipação de calor, mais portabilidade, dentre outras. Para obtermos nossos desejos, teremos que desenvolver sistemas computacionais diferentes, deixando de lado o silício convencional. Que tal realizar computação sem corrente elétrica? Será que luz pode ser uma solução? Computadores orgânicos são possíveis? E se usarmos magnetismo? Nesta palestra veremos como é possível conectar o nanomundo à computação e quais benefícios esta união de áreas pode trazer à sociedade cada vez mais conectada.

Conectando os próximos bilhões de dispositivos sem fio

Daniel Fernandes Macedo
Já reparou como as redes Wi-Fi parecem ficar cada vez piores? E que as provedoras no mundo inteiro estão parando com os planos ilimitados de Internet? Tudo isso é devido à explosão de dados e dispositivos na Internet. Nos próximos anos, com a conexão massiva de todos os objetos, teremos ainda mais dados e mais dispositivos para usar as redes sem fio. Nesta palestra iremos apresentar as tecnologias de redes de acesso sendo desenvolvidas, na UFMG e no mundo, para que as redes sem fio consigam conectar os próximos bilhões de dispositivos.

Desafios em Redes para uma Sociedade Massivamente Conectada

Luiz Filipe Menezes Vieira
Há uma crescente demanda por dados e conectividade as Redes. Pessoas no seu dia-a-dia ficam desconfortáveis se não possuem Wi-Fi. Há uma forte tendência de mais dispositivos se conectarem a Internet (IoT). Novas formas de conectividades tem sido propostas visando melhoras as Redes. Nessa palestra vamos abordar os principais desafios de pesquisa em Redes, descrevendo as principais áreas de pesquisa que podem revolucionar o mundo como a Internet fez.

Em qual unidade se mede privacidade? Como usar a teoria da informação para formalizar e quantificar a informação privada

Mário Sérgio Alvim
Numa sociedade altamente conectada como a nossa contamos cada vez mais com a comodidade de serviços online para realizar compras, planejar deslocamentos, trocar experiências sociais, armazenar dados pessoais e usufruir de servidores processamento na nuvem. Estudos têm demonstrado, entretanto, que a utilização de serviços mesmo aparentemente inofensivos podem causar severos danos à privacidade de indivíduos. Um exemplo anedótico é o da adolescente que em 2012 teve sua gravidez revelada ao seu pai por uma grande loja de departamentos que descobriu o fato através da análise da frequência de compras de cremes hidratantes da garota. Outros exemplos incluem inferência por atores indesejados de opiniões políticas individuais que desagradem a regimes totalitários, de condições de saúde pessoais, ou mesmo de qual senha bancária é mais provável que um indivíduo em particular utilize. Apesar de ameaças à privacidade serem uma preocupação séria, seria irrealista imaginar que as pessoas possam simplesmente abrir mão de usar serviços online. Nesta palestra vamos abordar métodos formais para se avaliar o grau de ameaça à privacidade que a utilização de um serviço pode causar, o que permite aos indivíduos tomar decisões bem informadas sobre os perigos e vantagens de se utilizar um serviço em particular. Mais precisamente, vamos ver com o a teoria da informação pode ser utilizada para formalizar propriedades de segurança e privacidade e quantificá-las precisamente.

Escrita de Artigos Científicos

Mirella Moura Moro
Escrever bons artigos científicos requer prática e habilidade. Essa palestra apresenta as informações básicas para a boa escrita científica, incluindo a organização base de um artigo, aspectos de conteúdo, boas práticas e muitos exemplos.

Futebol e política não se discute, se analisa!

Pedro Olmo Stancioli Vaz De Melo
O crescente avanço dos sistemas de informação permite que cada vez mais dados sejam gerados e armazenados. A Internet, por exemplo, possui bilhões de dispositivos computacionais, em que cada um deles é responsável por gerar, armazenar e transmitir uma quantidade incontável de dados. Isso ocorre porque praticamente todas as atividades realizadas por seres humanos hoje são registradas em algum banco de dados. O conhecimento de como processar esse banco de dados de valor inestimável e em evolução pode levar, consequentemente, a uma melhor compreensão dos interesses e da dinâmica de cada entidade em um determinado sistema, comunidade ou na sociedade. Assim, nesta palestra serão descritos métodos computacionais que fazem usos de dados públicos a fim de descobrir conhecimento em sistemas políticos e no futebol. Mostro que esses métodos são capazes de desvendar características e padrões surpreendentes, a um custo menor e a uma velocidade maior que os métodos tradicionais.

Implementação de um programa de realidade aumentada: faça seu próprio Pokemon Go!

Erickson Rangel do Nascimento
Nesta palestra apresentaremos algoritmos de Visão Computacional e Computação Gráfica e mostraremos como combiná-los para implementar uma aplicação de realidade aumentada em Python utilizando as bibliotecas OpenCV e OpenGL. Serão discutidas as principais características de uma aplicação de realidade aumentada e sua diferença das aplicações de realidade virtual.

Introdução à complexidade parametrizada

Vinícius Fernandes dos Santos
A solução prática de problemas exige algoritmos eficientes, tipicamente de complexidade de tempo polinomial. A teoria da NP-completude foi desenvolvida para determinar quais problemas provavelmente não podem ser resolvidos por algoritmos polinomiais. Entretanto, como muitos problemas NP-difíceis precisam ser resolvidos na prática, uma possibilidade é recorrer a um algoritmo aproximativo ou heurístico em vez de um algoritmo exato. Uma recente e promissora alternativa para a tratabilidade desses problemas, é recorrer a uma análise sob o ponto de vista da Teoria da Complexidade Parametrizada. Esta teoria estuda a existência de algoritmos cuja complexidade exponencial depende apenas de certos aspectos da entrada, e não de seu tamanho. Tais algoritmos são denominados tratáveis por parâmetro fixo (ou simplesmente algoritmos FPT). Serão introduzidos alguns conceitos formais da complexidade parametrizada, como técnicas básicas de desenvolvimento de algoritmos FPT e também resultados negativos, para problemas onde não se espera ser possível desenvolver algoritmos FPT. Os exemplos utilizados serão focados em problemas em grafos.

Justiça, transparência e responsabilidade em mineração de dados

Wagner Meira Júnior
Algoritmos têm uma forte influência em nossas vidas, muitas vezes determinando o conteúdo que vamos consumir, lugares que vamos visitar e mesmo a definição sobre uma oferta de emprego. Por isso é importante, do ponto de vista ético e social, a compreensão de como os algoritmos podem ser tendenciosos ou mesmo discriminatórios contra alguns grupos, mesmo quando são matemática e computacionalmente corretos. Neste curso vamos conceituar e caracterizar algoritmos de mineração de dados em relação ao quanto são justos, transparentes e responsáveis, e apresentar estratégias que garantam essas características sem que isso signifique afetar outros requisitos como precisão, efetividade e manutenção de privacidade. Também vamos apresentar vários exemplos no contexto de web e redes sociais.

Mobilizando Conhecimento para Geração de Riqueza por Meio da Inovação

Nivio Ziviani, CEO Zunnit Technologies, Professor Emérito do DCC/UFMG
Uma forma importante de geração de riqueza nos países desenvolvidos é a criação de empresas startup a partir de resultados de pesquisa. O objetivo desta palestra é discutir a experiência na criação de startups no DCC/UFMG, onde podemos citar três exemplos: Miner Technology Group, Akwan Information Technologies e Kunumi Technologies. Na UFMG desenvolvemos modelo inédito no país que permite a transferência dos direitos de comercialização de produtos relacionados a um conhecimento gerado na Universidade para uma empresa startup. A Kunumi, criada recentemente, é uma empresa que faz a ponte entre o mundo dos negócios e os avanços mais recentes de inteligência artificial.

O Papel das Finanças Computacionais em uma Sociedade Massivamente Conectada

Adriano César Machado Pereira
Nesta palestra vou apresentar conceitos básicos de mercado financeiro e mostrar como a área de Finanças Computacionais desempenha um importante papel em uma Sociedade cada vez mais Massivamente Conectada! A palestra endereçará alguns tópicos como mercado de ações, escolas de análise, frequências de investimento, gestão de risco, simulação do mercado de ações, fluxo de ordens, aprendizado de máquina aplicado a finanças, arbitragem estatística, análise de notícias e dados da Web, estratégias de investimento, simulação realística, negociações utilizando a microestrutura do mercado, dentre outros. Será dada uma visão geral do conteúdo e direções para desenvolvimento de pesquisa e desenvolvimento na área, além de alguns estudos de caso reais neste cenário.

O Presente e os Desafios em Otimização

Geraldo Robson Mateus
Diversos problemas clássicos, técnicas, periódicos e conferências já completaram 50 - 60 anos. A Otimização já atingiu um nível de maturidade. Alguns desses problemas clássicos em logística, transporte e comunicação, são avaliados quanto ao estado da arte em termos de modelos, algoritmos, dinamicidade, escalabilidade e aplicabilidade. Apesar de toda maturidade e reconhecimento pela sua capacidade de fornecer soluções, as evoluções tecnológicas, metodológicas e de processos, geram grandes desafios e impõem uma busca ousada por novos modelos e algoritmos integrados a ambientes complexos, dinâmicos, de grandes dimensões e mobilidade. Neste novo contexto a linha de Otimização tem um vasto campo de atuação, questionamentos, evolução e de respostas e soluções.

Reconhecimento de cenas e objetos utilizando redes neurais convolucionais

Erickson Rangel do Nascimento
Nos últimos anos testemunhamos um impressionante avanço em tarefas de reconhecimento de objetos, faces, voz e cenas. Esse avançado é protoganizado pelo uso de redes neurais convolucionais profundas, que treinadas em base de dados com numero de amostra da ordem de milhões, apresentam atualmente as menores taxas de erros de reconhecimento. Nesta palestra abordaremos o uso dessas poderosas ferramentas para reconhecimento de objetos e cenas e mostraremos como implementar uma rede neural convolucional utilizando o arcabouço Keras.

Robótica Móvel

Douglas Guimarães Macharet
A Robótica em geral ganhou notoriedade nas últimas décadas. Nesse contexto, uma área que tem se destacado e obtido grandes avanços em anos mais recentes é a Robótica Móvel, responsável por estudar robôs capazes de se locomoverem no ambiente em que estão inseridos. Essa palestra tem como objetivo apresentar uma visão geral da área, fazendo uma breve retrospectiva histórica, apresentando o estado da arte para diferentes problemas e discutindo desafios ainda a serem resolvidos.

Visão Computacional aplicada à Biometria e Vigilância

William Robson Schwartz
Análise de imagens e vídeos contendo humanos apresenta significante interesse para áreas como processamento de imagens e visão computacional, já que a interação entre humanos oferece informações relevantes para o entendimento de atividades sendo executadas. Esta palestra tratará tanto de aspectos gerais relacionados a aplicação de visão computacional a problemas de biometria e vigilância, quanto focará em problemas mais específicos, tais como abordagens para o reconhecimento de faces compreendendo as tarefas de identificação e verificação facial, o reconhecimento de atividades, a detecção de comportamento anômalo em vídeo e a reidentificação de pessoas em redes de câmeras.